Forças de segurança fazem operação em garimpo ilegal em Mato Grosso

nacional | 24/01/2017 Print Friendly and PDF
Foras de segurana fazem operao em garimpo ilegal em Mato Grosso

Área está ocupada pela quarta vez por homens armados em busca de ouro.
Incursão envolve policiais militares, civis, bombeiros e forças especiais.

As forças da segurança pública de Mato Grosso fazem uma operação na manhã desta terça-feira (24) na área do garimpo ilegal de Pontes e Lacerda, a 483 km de Cuiabá. A área, de propriedade da União, que em 2015 ficou conhecida como 'Nova Serra Pelada', está ocupada pela 4ª vez por homens armados desde dezembro de 2016.

De acordo com a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) uma incursão na área do garimpo ilegal envolve as forças integradas da segurança pública: Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e Politec, além das forças especializadas do Grupo de Operações Especiais (GOE), Grupo Armado de Resposta Rápida (Garra), Ronda Ostensiva Tática Móvel (Rotam) e Força Tática.

Conforme a Sesp, a operação pretende coibir as práticas de crimes na área do garimpo, como extração ilegal de ouro, porte de arma e crimes ambientais.

A secretaria deve apresentar detalhes da ação e resultados no período da tarde, durante uma coletiva de imprensa às 14h no Comando Regional da PM em Pontes e Lacerda.

Garimpo
Serra da Borda começou a ser ocupada em setembro de 2015 com a descoberta de jazidas de ouro. Após a fama de "ouro fácil" se espalhar, principalmente pelas redes socias, cerca de oito mil pessoas foram para a área.

Depois disso, a Justiça Federal determinou duas vezes que a área fosse desocupada. A reintegração do local foi feita duas vezes, em ações integradas por forças de segurança do estado e do governo federal.

As forças de segurança já fizeram outras desocupações entre 2015 e 2016. No início deste ano, a Sesp enviou 32 policiais de unidades especializadas para reforçarem a segurança no município. Policiais civis e militares montaram barreiras nas estradas de acesso ao garimpo, entretanto, não entraram no local por falta de reforço da Força Nacional e do Exército.

Na última terça-feira (17) a juíza federal Ana Lya Ferraz da Gama Ferreira determinou que o governo de Mato Grosso e a União apresentem, no prazo de 10 dias, um plano de desocupação e isolamento da área onde se instalou o garimpo ilegal da Serra da Borda.

Existem dois pedidos de licenciamento ambiental para a exploração da área em tramitação na Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema). Um deles foi feito por uma mineradora que já tem alvará de pesquisa mineral abrangendo toda a área da serra, expedido pelo DPNM. Outro quer a permissão de lavra garimpeira de uma faixa de 10 metros de largura.

 

G1