Políticos levam irmãos, filho, mulher e até mãe como suplentes em chapas para o Senado

politica | 27/08/2018 Print Friendly and PDF
Polticos levam irmos, filho, mulher e at me como suplentes em chapas para o Senado

As eleições de 2018 terão quase 350 chapas na disputa pelo Senado. E, entre elas, há casos em que parentes dividem o mesmo palanque para chegar à Casa. Há pai como cabeça de chapa e filho na suplência, marido e mulher na mesma composição e irmãos juntos na disputa.

O doutor em ciência política Paulo Magalhães diz que um dos critérios para definir os nomes dos suplentes são os laços familiares. Outro fator, segundo ele, é o potencial de financiar uma campanha. Se o suplente for do mesmo partido do titular, isso ainda "é uma forma de manter a influência parlamentar do partido em caso de afastamento temporário ou definitivo do titular".

G1 fez uma busca nos dados eleitorais e constatou pelo menos 7 chapas ao Senado formadas por ao menos dois parentes. A prática não configura qualquer irregularidade.

Para o professor da FGV Direito Rio Michael Mohallem, porém, o ato não é positivo para a democracia e ainda cria uma dúvida quanto à capacidade política dos suplentes.

 

"É natural que os partidos queiram colocar suplentes com potencial político, com histórico, com trajetória e não simplesmente alguém que tenha relação de parentesco com uma figura importante do próprio partido. Essas duas questões (parentesco e financiador), casos que são comuns, geram uma dúvida muito ruim para o titular e para o partido. Não me parece positivo para a democracia."

 

Um levantamento do G1, publicado em fevereiro, identificou que 41 suplentes de senadores assumiram a titularidade do cargo em algum momento da legislatura. Quase a metade do Senado se afastou do cargo de forma temporária ou definitiva desde fevereiro de 2011.

Cada chapa ao Senado é formada por três nomes: titular, 1º suplente e 2º suplente. Neste ano, o eleitor deve votar duas vezes para o Senado. O atual modelo foi definido na Constituição de 1988.

 

Os nomes de suplentes para o Senado já são decididos no período eleitoral, mas eles só assumem o mandato caso haja afastamento do titular. Os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) usados na análise podem ser acessados pelo DivulgaCand ou pelo repositório do órgão.

Veja os casos identificados pela reportagem:

 
Gilvam Borges concorre ao Senado nas eleies deste ano e tem o irmo e o filho como 1 e 2 suplentes na chapa, respectivamente. (Foto: Lorena Kubota/G1)

Gilvam Borges concorre ao Senado nas eleies deste ano e tem o irmo e o filho como 1 e 2 suplentes na chapa, respectivamente. (Foto: Lorena Kubota/G1)

Gilvam Borges concorre ao Senado nas eleições deste ano e tem o irmão e o filho como 1º e 2º suplentes na chapa, respectivamente. (Foto: Lorena Kubota/G1)

O ex-senador Gilvam Borges (MDB) tenta neste ano recuperar uma cadeira do Amapá no Senado. É titular na chapa que reúne ainda o irmão, Geovani Borges (MDB), como 1º suplente e o filho, Miguel Gil Borges (MDB), como 2º suplente.

 
Eduardo Braga tenta repetir o resultado das eleies de 2010, quando tambm se candidato ao Senado, com a mulher, Sandra Braga, como 1 suplente (Foto: Marcos Dantas)

Eduardo Braga tenta repetir o resultado das eleies de 2010, quando tambm se candidato ao Senado, com a mulher, Sandra Braga, como 1 suplente (Foto: Marcos Dantas)

Eduardo Braga tenta repetir o resultado das eleições de 2010, quando também se candidato ao Senado, com a mulher, Sandra Braga, como 1º suplente (Foto: Marcos Dantas)

A história se repete no Amazonas, onde o casal Braga tanta refazer o resultado das eleições de 2010. O titular da chapa, Eduardo Braga (MDB), tem a companhia da mulher, Sandra Braga, na disputa por uma das vagas do estado no Senado.

 
Jos Alberto Pinto Bardawil encabea uma chapa ao Senado que tem o prprio irmo como 1 suplente (Foto: Waldemir Rodrigues/Agncia Senado)

Jos Alberto Pinto Bardawil encabea uma chapa ao Senado que tem o prprio irmo como 1 suplente (Foto: Waldemir Rodrigues/Agncia Senado)

José Alberto Pinto Bardawil encabeça uma chapa ao Senado que tem o próprio irmão como 1º suplente (Foto: Waldemir Rodrigues/Agência Senado)

Uma das 13 chapas ao Senado pelo Ceará é liderada por José Alberto Pinto Bardawil (Podemos). O empresário do setor de comunicação leva o irmão, Walter Pinto Bardawil (Podemos), como 1º suplente.

 
O senador Edison Lobo e o filho, Edison Lobo Filho, compem chapa ao Senado pelo MDB do Maranho (Foto: Marcelo Camargo/Agncia Brasil)